Quando falamos de startups sempre ouvimos sobre os famosos processos de aceleração, que visam colocar a empresa em um novo patamar com um período curto de tempo, proporcionando mentorias, oportunidades comerciais e todo o suporte que os empreendedores precisam para dar esse salto.

Pois bem, tivemos tudo isso e muito mais. Vivemos esse crescimento exponencial fora do Brasil, em uma região focada no agronegócio nos Estados Unidos.

Fomos aceitos para o programa Iowa AgriTech Accelerator, que seleciona 5 startups do mundo para passar 3 meses no Estado de Iowa desenvolvendo seu produto (focado no agronegócio) e fazendo conexões com o mercado e os mentores americanos. Essa experiência foi completamente transformadora para a Raks.

Chegamos preparados para aprender muito, mas nunca imaginamos que seria tanto. Iniciamos o programa com as chamadas “Speed Meetings”, que são reuniões relâmpago com mentores voluntários. Temos 30 minutos do tempo de cada um para conversar individualmente, apresentar a nossa solução, nossas necessidades e expectativas. 30 minutos é tempo suficiente para verificar se existe sinergia e despertar o interesse para seguir trabalhando juntos, e é pouco tempo para causar uma situação desconfortável de perda de tempo quando não há essa conexão. Foram semanas exaustivas, tendo mais de 10 reuniões em um único dia, detectando excelentes oportunidades e imaginando tudo o que poderíamos fazer com esses contatos.

Speed Meetings

Passadas as reuniões, elencamos quais mentores tinham mais sinergia com as nossas demandas, gerando um verdadeiro ranking. Os mentores fizeram o mesmo com as startups. Após um ótimo processo de análise, cada startup foi conectada com 4 mentores, dando o “match” de interesse entre os dois lados. Esses mentores nos ajudaram das mais diversas formas. Na verdade, ainda seguem ajudando, mesmo estando em outro país!

Além dos mentores fixos, tivemos rodadas de workshops sobre os mais variados temas, sempre com especialistas e pessoas referência no país. Como eu disse, nunca imaginamos que iríamos aprender tanto em um período tão curto!

Aprendemos sobre os pontos fortes de cada um dos sócios e como valorizar isso para atingir resultados melhores. Aprendemos sobre rodadas de investimento nos Estados Unidos (e acreditem, é beeeem diferente), aprendemos sobre pitch em um workshop prático sobre habilidades de comunicação, que não são aplicadas exclusivamente ao pitch, mas em toda a vez que abrimos a boca para falar sobre nosso negócio. Aprendemos sobre vendas, sobre processo de manufatura, sobre proteção de dados, sobre marketing, estratégias e formas de monetização. Aprendemos a apresentar a Raks em 30 segundos, 1 minuto, 2, 3, 5, 10, tudo em inglês e para diferentes públicos.

Apresentamos o nosso pitch para empresas referência na agricultura, conversando com grandes líderes e recebendo os feedbacks que nos fizeram mudar a visão de onde podemos chegar com nosso sistema, do valor que podemos agregar e do quanto devemos valorizar o fato de tudo ter sido desenvolvido por um time tão jovem e relativamente “cru” no mundo de negócios. Isso mostra quem somos, o nosso valor e a nossa vontade de transformar!

Os três meses nos proporcionaram muito mais do que um incrível processo de aceleração. Conhecemos pessoas e lugares maravilhosos, fazendas modelo e tecnologias de ponta. Tivemos a possibilidade de instalar nossos sensores em uma fazenda americana, no Precision Technology Institute da Precision Planting. Com isso, tivemos nossa primeira experiência de trabalho com milho e recebemos diversas dicas dos agrônomos americanos. Com toda a certeza o produto evoluiu muito nesse contato.

Hoje temos a certeza de que fomos acelerados, acelerados rumo ao crescimento da empresa em dois dos Top 10 países com mais áreas irrigadas, acelerados rumo a novos clientes, novas perspectivas, novas portas e novos conhecimentos. Acelerados rumo ao aumento do valor da empresa, rumo aos novos desafios.

Devido ao programa, temos a empresa incorporada em dois países e estamos aptos a trabalhar dessa forma!

Aprendemos muito em Iowa e tudo isso colabora para uma Raks melhor, maior e mais capacitada. Depois de tanta aceleração entendemos o porquê foguete não da ré!